Ir em baixo
avatar
Mensagens : 3
Data de inscrição : 28/11/2018
Ver perfil do usuário

Distancias, campos magnéticos, fusão e limites do sistema solar. Empty Distancias, campos magnéticos, fusão e limites do sistema solar.

em Qua Jan 02, 2019 1:24 pm
Boa tarde professor.
Primeiramente, feliz 2019! Que seja um ano próspero de muita difusão de conhecimento!
Trago algumas dúvidas sobre o conteúdo da P2-Sistema solar:

1) A distancia entre a órbita da lua e a Terra está em constante aumento? Se sim, este movimento está relacionado a um movimento de expansão de todos os corpos celestes? Desse modo, a órbita da Terra também estaria se afastando do Sol?

2) Os planetas gasosos têm campo magnético? Não entendi bem se seus núcleos eram líquidos ou sólidos.

3) O que acontece no Sol em relação à sua rotação "heterogênea" (latitudes 'centrais' girarem mais do que os 'polos', causando as distorções de campo magnético, loops e etc) acontece também na rotação dos planetas gasosos? (Durante a aula você comparou apenas com os planetas rochosos).

4) Sobre a cadeia de fusão no núcleo do Sol: quando o He é formado, ele é 'desagregado' em seguida devido ao estado de plasma? Existe a formação de átomos mais complexos (com mais prótons), como Li, Be, B, C, N? Se sim, esses átomos são lançados para o espaço ou não passam da camadas solares (zona de radiação, conveccão, etc)?

5) Existe limites espaciais para o nosso sistema solar? Como são definidos?

Obrigado pela atenção. Abraços
Marcos
Alexandre Zabot
Mensagens : 46
Data de inscrição : 07/10/2018
Localização : Joinville
Ver perfil do usuáriohttp://zabot.paginas.ufsc.br

Distancias, campos magnéticos, fusão e limites do sistema solar. Empty Re: Distancias, campos magnéticos, fusão e limites do sistema solar.

em Qui Jan 10, 2019 2:08 pm
Boa tarde Marcos

1 - A distância entre a Terra e a Lua aumenta cerca de 3,8 cm por ano. O aumento não é por causa do redshift cosmológico, mas apenas porque parte da energia de rotação em torno da Terra é perdida pelo atrito causado pelas forças de maré.

2 - Têm sim. Mas neles o campo não é gerado apenas pelo núcleo, mas também por outras camadas. Júpiter tem o maior campo magnético de todos os planetas. Dê uma pesquisado sobre a sonda Juno, ela foi projetada de modo especial para se proteger dos campos magnéticos de Júpiter. É muito interessante!

3 - Não sei responder, mas acredito que sim, especialmente em Júpiter e Saturno. Preciso dar uma pesquisada para responder com mais propriedade

4 - Os átomos são desagregados no plasma: núcleos são separados dos elétrons na eletrosfera (alguns ou todos os elétrons de cada átomo, depende da temperatura do plasma e da quantidade de radiação). Mas os núcleos continuam a existir. Assim, dizemos que o He continua lá, embora possa estar com apenas um ou nenhum elétron (dizemos que o He está ionizado). É possível formar elementos mais pesados, mas isso exige energias mais altas. Geralmente essa energia só é atingida nas fases finais das estrelas. O Sol, por exemplo, irá gerar Carbono a partir de He nas fases finais de sua vida. Mais tarde, na fase de nebulosa planetária, muitos desses elementos são jogados no espaço

5 - Sim, existem. São definidos a partir da zona de influência do Sol. Onde o Sol não influencia mais as partículas do espaço dizemos que acaba o sistema solar e começa o espaço interestelar. Recentemente as sondas Voyager alcançaram essa região. Veja esse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=KOuxhjLTsdo


Abraço!
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum